Loading...

terça-feira, 29 de março de 2011

Adolescência

    Na passagem da infância para a adolescência, os índios fazem um tipo de ritual:

    Os homens tem que sair para sua primeira caça, sozinhos.

    As mulheres ficam entocadas dentro das ocas por vários anos, até que um dia seus pais percebam que ela já está na fase mais madura, suficiente para arrumar um parceiro. Entre eles, a mulher casa cedo.

Ocas

    A Oca é uma habitação dos povos indígenas. As ocas são construídas com a participação de vários integrantes da tribo. São grandes, podendo chegar até 40 metros de comprimento. Seu tamanho é normal, pois várias famílias de índios habitam uma mesma oca. Internamente este tipo de habitação não possui divisões. São colocadas dentro da oca diversas redes, que os índios usam para dormir.
    A estrutura das ocas são bastante resistente, pois elas são construídas com a utilização de taquaras e troncos de árvores. A cobertura é feita de folhas de palmeiras ou palha. Uma oca pode durar mais de 20 anos.
    As ocas não possuem janelas, porém, a ventilação ocorre através das portas e dos frizos entre as taquaras da parede. Costumam apresentar de uma a três portas apenas. 

Escola Indígena

    Hoje, a escola indígena, na maior parte dos povos que mantêm contato com a civilização, tem como objetivo manter os costumes dos índios e ensinar a sua língua junto com outras matérias. O currículo não é só o ensino da língua materna, mas de todo um currículo além das questões de cada povo. A diversidade lingüística está diretamente ligada a educação, pois são faladas no mínimo 180 línguas indígenas e o processo educacional mantém um equilíbrio, para que a língua oficial do país não seja imposta, mas também haja espaço para o ensino da língua indígena, de modo que não se perca, daí a importância do professor bilíngüe.

A Pescaria

    Além de um conhecimento profundo da vida e dos hábitos dos animais, os índios possuem técnicas que variam de povo para povo. Na pesca, é comum o uso de substâncias vegetais que intoxicam e atordoam os peixes, tornando-os presas mais fáceis. Há também armadilhas para pesca, como o pari dos teneteharas (um cesto fundo com uma abertura pela qual o peixe entra atrás da isca, mas não consegue sair). A maioria dos índios no Brasil pratica agricultura.

Armas Indígenas

Os índios do Brasil fabricam armas para caçar. Antigamente as armas eram usadas em guerras entre tribos rivais.
O arco e flecha é a arma mais usada entre os índios brasileiros. Existem diferentes tipos de ponta para as flechas, que variam conforme o animal que se deseja caçar.
Algumas etnias preferem a zarabatana, um tubo por onde assopram dardos envenenados. Outras etnias, como os índios Kayapó, preferem apenas as bordunas.

 Arco e flecha


Bordunas

 borduna - indios tapirape

Armas cerimoniais

  cetro kopo - indios kraho

Diversos

 aljava para guardar pontas de flechas - indios yanomami

A Caçada

Além da pescaria, a caça é o único meio de se obter carne nas tribos. É uma atividade para os homens e pode-se realizar sozinho ou em grupo. Para eles as melhores carnes são a da anta, a cobra e a paca. Os índios evitam a carne de animais peludos, menos a do macaco, pois gostam muito. Algumas das aves mais procuradas são o mutum, jacumim, jacutinga, papagaio, perdiz, jaó, pato e marreco.

A Educação

A formação escolar desses povos é precária. Embora civilizados, entre os índios mais velhos não se encontra nenhum sequer com o ensino fundamental completo, pois algumas décadas atrás o ensino para índios praticamente não existia.
Quanto à população jovem, embora em meio às dificuldades, já se vê muitos que estudam na própria aldeia ou nas cidades, cursam o ensino fundamental e médio. No entanto alguns poucos indígenas dessa etnia já cursam o ensino superior em universidades públicas.
O principal meio de educação dos índios sempre foi a “escola da vida”.
Muitos são os problemas encontrados pelos alunos índios quando vão estudar na cidade. A má formação dos professores brancos que não possuem conhecimento suficiente sobre a causa indígena gerando conceitos previamente indevidos, a discriminação dos próprios alunos brancos quanto à etnia, além das dificuldades no trajeto da aldeia até a cidade são algumas das dificuldades que fazem os povos indígenas uma aldeia civilizada, mas com nível escolar atrasado.